The little boy with a very big heart

Anúncios

23º Bienal Internacional do Livro

My book 30 razões para sermos balzaquianos e outras histórias has just been published in one of the biggest publishing events in Brazil:  23º Bienal Internacional do Livro.

I would like to thank my readers. This would never happened without your support. Thank you for your likes and comments.

Special thanks to Stefano Paterna for his photos. They have brought life to my blog.

 

23º Bienal Internacional do Livro

Gostaria de agradecer aos que compareceram ao lançamento do meu livro 30 razões para sermos balzaquianos e outras histórias na Bienal.

Fiquei muito feliz com a sua presença.

Deixo um agradecimento especial aos meus leitores. Se não fosse por vocês, nada disso teria sido possível.

 

Agradecimentos

Minha família e meus amigos sempre me deram, e continuam dando, exemplos de casamentos sólidos. Se o meu padrão é “alto demais” é porque sei que a constituição de uma família íntegra e unida por um amor sadio é possível. Gostaria de agradecê-los por me mostrar que os valores familiares não devem nunca ser menosprezados. Admiro muito a coragem e o empenho de todos vocês.

Muito obrigada pelas minhas fortes raízes.

Fotógrafo/Photographer: Stefano Paterna (direitos reservados/copyrighted)

www.stefanopaterna.com

Balzaquianos

Venho, mais uma vez, agradecê-los. Este blog vai alçar novos voos e se tornar um livro em breve. Sem o apoio de vocês, meus leitores, isto nunca teria sido possível. Muitíssimo obrigada!

I’m writing this post to say thank you to my readers. This blog will soon become a book. Without your support, this wouldn’t have been possible. Thank you very much!

Stefano-Paterna-Valeria-46

Fotógrafo/Photographer: Stefano Paterna (direitos reservados/copyrighted)

www.stefanopaterna.com

Post comemorativo – Muito Obrigada!

Eu comecei a escrever este blog há dois anos. Como todos sabem, o objetivo principal era o de esclarecer os motivos pelos quais eu me tornei uma balzaquiana. Acredito que este objetivo tenha sido alcançado. As minhas expectativas foram, com certeza, superadas. Eu nunca imaginei que tantas pessoas de tantos países, línguas e costumes diferentes leriam e comentariam os textos.  Um leitor assíduo comentou recentemente que as 30 razões sobre as quais eu escrevi não passam de 30 passos a serem seguidos para me conquistar. Sendo assim, se você – ou alguém que você conhece – não bebe, não usa drogas e não fuma; não gosta de brigas e discussões; não espera grandes sacrifícios “em nome do amor”; não é ciumento nem possessivo; gosta de se cuidar física e psicologicamente; usa preservativo e é fiel; sabe programar a sua agenda do celular para avisá-lo sobre datas comemorativas e gosta de comemorá-las; não é acomodado ou preguiçoso; não ronca ou não se importa em dormir em quartos separados; não usa mais a famigerada frase: “Você vem sempre aqui?”; tenta fugir dos estereótipos masculinos e femininos; sabe qual é o significado de TPM e qual é a distância mínima necessária a ser adotada durante este período; não quer ou não está desesperado para ter filhos, ou já os tem e sabe criá-los; se o seu carro e os seus bens não são o que melhor lhe definem e se – depois de tudo – ainda estiver interessado, pode me mandar um e-mail, quem sabe achamos algum dragão por aí para matarmos juntos.

Eu gostaria muito de agradecer os meus leitores e seguidores.  É um prazer escrever para vocês.

Obrigada

Thank you

شكرا!

Mulțumesc

Danke

Grazie

धन्यवाद

Tak

Gracias

Merci

Takk

Teşekkür ederim

תודה

آپ کا شکریہ

Terima kasih

Děkuji

তোমাকে ধন্যবাদ

Kiitos

Спасибо

Obrigada Google!

Obrigada WordPress e Facebook!

Obrigada Stefano Paterna pelas fotos!

Val15

Fotógrafo/Photographer: Stefano Paterna (direitos reservados/copyrighted)

www.stefanopaterna.com

Agradecimentos

Há um ano eu comecei a escrever as histórias deste blog. O principal motivo foi responder à pergunta: “Por que uma moça tão bonita e inteligente como você está sozinha?” – feita muitas vezes por pessoas que realmente pensavam assim, e muitas vezes por pessoas que só estavam sendo irônicas.

Para as irônicas, a melhor resposta continua sendo: “Exatamente!”

Quanto às outras, espero que elas tenham entendido as minhas razões, independentemente de concordarem ou não com elas.

Eu sei que algumas pessoas se sentiram criticadas. Se este foi o caso, sinto muito e peço desculpas. Eu nunca tive intenção de criticar ninguém. Como já disse admiro muito todos aqueles que conseguem ter uma vida a dois e/ou constituir uma família. Eu sei que é muito difícil e ao mesmo tempo recompensador. Infelizmente eu não sou tão corajosa assim.

Meu maior receio quando eu comecei a escrever as histórias era que as pessoas se sentissem obrigadas a lê-las. Medo infundado: depois de mais de 1.200 acessos de pessoas de vários países diferentes e de poucos comentários dos meus amigos e familiares – agradeço àqueles que o fizeram – eu sei que as pessoas que acessam meu blog não o fazem para me agradar, e sim porque o que eu escrevi tem algum significado para elas.

Quando eu comecei a traduzir as histórias para o Inglês (para atender ao pedido de alguns amigos que não falam Português) o número de acessos triplicou. Hoje em dia os posts em Inglês são os mais populares.

Além das 30 razões – para sermos balzaquianos convictos, mas não invictos. (Afinal, o sexo oposto ainda serve para alguma coisa) – Eu comecei também as escrever o segmento E eles (não) viveram “Felizes para sempre”… para ilustrar as razões listadas por mim e para homenagear pessoas cujas vidas, em minha opinião, são exemplares. Uma vez que a grande maioria dos meus leitores é estrangeira, eu comecei o terceiro segmento Get a life em Inglês. Aqui as histórias foram criadas para responder às seguintes perguntas constantes, feitas desta vez por pessoas solteiras: Como você consegue ficar sozinha? Como você consegue não enlouquecer toda vez que conhece alguém? Como você não fica deprimida por estar sozinha? Estas histórias serão traduzidas para o Português assim que possível.

Gostaria de agradecer a todos aqueles que leram e comentaram e a todos aqueles que não leram por obrigação.

Gostaria de agradecer ao fotógrafo Stefano Paterna pelas fotos cedidas. Elas com certeza deram vida às histórias.

Muito obrigada,

 

Valéria